O que torna a Islândia única? Parte 1 – Região da Capital, Península Sul

Introdução

Se você for como eu, você sabe que adora viajar, descobrir novas culturas e aprender sobre a beleza deste maravilhoso planeta em que vivemos. Hoje eu quero apresentar (ou reintroduzir?) a você um pequeno e notável país nórdico chamado Islândia. E é muito apropriado começarmos com um olhar sobre a singularidade desses dois lugares: a Região da Capital e a Península Sul (ou Meridional). Você poderá encontrar mais postagens como esta sobre muitas partes do mundo em Earth’s Face.

Quero ser sincero com todos vocês: não estive nesses dois lugares ou na maioria daqueles sobre os quais vou escrever nesta série. Não é uma lista de recomendações para suas viagens, já que não posso recomendar um lugar onde não estive. Isso é parte de um projeto pessoal meu, no qual pesquiso as divisões de estado do mundo por puro prazer, olhando mapas, assistindo vídeos e lendo artigos.

Quero compartilhar o que aprendi com você e encorajo você a descobrir mais por si mesmo. Esta não é uma lista de viagens. Estou apenas compartilhando o que para mim parece tornar esses lugares únicos no mundo, para encorajar você (e eu) a visitá-los, ou pelo menos apreciá-los.

O que torna esses dois lugares tão especiais, afinal? Me deixe apresentar meu caso …

Höfuðborgarsvæðið ou a Região da Capital destacada em vermelho em um mapa da Islândia
Região da Capital  – por Karte: NordNordWest

Höfuðborgarsvæðið

REGIÃO Da CAPITAL: GEOGRAFIA RÁPIDA

Então, se você não é islandês e sabe alguma coisa sobre a Islândia, sabe que tem alguns topônimos difíceis de pronunciar. Olha só, apenas tenta ler aquele subtítulo. Ho-fud-bor-ga … e então desiste. Se eu pudesse transliterá-lo para o português, poderia ser “Ró-fud-bur-guers-vê-did”, mas isso não é muito mais fácil. Em termos mais simples, esta é a Região da Capital, e tem muito que a torna única.

Edifício da igreja Hallgrímskirkja na região da capital, Reykjavik, discutindo o que torna a Islândia única
a famosa Hallgrímskirkja – por Yves Alarie

Só para se atualizar um pouco sobre a geografia básica, (provavelmente pode perceber pelo nome) aqui é onde a capital nacional, Reykjavík, está localizada, que também é a capital da região. No sudoeste da Islândia, possui um litoral com colinas e montanhas no interior. É uma espécie de zona mista de clima montanhoso Alpine e Tundra, embora essas qualidades serem presentes da mesma forma para quase toda a Islândia. Ok então, o que faz ele se destacar?

Qualidades e locais

Uma coisa logo de cara é que essa região abriga a maior e mais populosa cidade da Islândia. A maioria dos islandeses mora na capital ou nos arredores, o que é de grande importância. Isso porque a maior parte dos principais aspectos culturais, econômicos e turísticos vem especificamente desta região. Não há melhor lugar para obter uma introdução a este país incrível e seu povo do que começar na Região da Capital.

Um edifício com arquitetura interessante em Reykjavik, discutindo o que torna a Islândia única
Arquitetura legal – por Michael Held
uma rua em Reykjavik pintada com as cores do arco-íris na calçada e com pequenas lojas e apartamentos, discutindo o que torna a Islândia única
rua no Reykjavík – por Square Lab

Há tanta arte aqui. Além das obras urbanas, ali também possui uma quantidade surpreendente de museus. Isso inclui até o Phallological Museum (Museu Falológico), um museu excêntrico (ou safado) cheio de imagens fálicas. Quem diria?

Também há montes de arquitetura única, como a cultural Nordic House (Casa Nórdica), o Perlan, e uma escultura / estátua bacana do Navio Voyager na costa. E tenho certeza que você já viu fotos do todo-poderoso Hallgrímskirkja, a icônica igreja. Eu tive que procurar como se escreve.

A Região da Capital também é um ponto de partida principal para muitas excursões ao ar livre na área. Além da famosa observação de baleias, há uma vasta paisagem arrebatadora de montanhas, campos de lava, vulcões e lindas formações rochosas fora das cidades. Esse contraste torna a região realmente única dentro da própria Islândia.

Alguns lugares naturais muito interessantes para conferir seriam Heiðmörk (Raid-murk), Reykjanesfólkvangur (Hei-quianes-folk-vam-gur) e Krýsuvík (Crui-su-vik), para citar alguns. Este último está, na verdade, em outra parte da região, que está dividida em duas seções separadas, também único na Islândia. Isso vai até a costa sul, onde existem umas falésias longas e pontiagudas mirando para o Atlântico Norte. Se posso dizer mais alguma coisa, a aurora boreal é um cenário deslumbrante atrás da cidade e das montanhas.

Penhascos de Krýsuvíkurbjarg sobre o oceano na Região da Capital, discutindo o que torna a Islândia única
penhascos em Krýsuvíkurbjarg – por Wojciech Strzelecki “Wojtrix”
Suðurnes ou região da Península Sul destacada em vermelho em um mapa
Suðurnes – por A Red Cherry

Suðurnes

PENÍNSULA SUL: GEOGRAFIA RÁPIDA

Isso é facil. A Península Sul está logo abaixo da Região da Capital, no canto sudoeste da Islândia. Se encontra numa península (surpresa!) e justo numa divisão continental entre as placas da América do Norte e da Europa. Sua capital é Keflavík, parte de um município maior chamado Reykjanesbær (Hei-quianes-ber). Eu sei, os nomes! Mas você está aqui, então adora.

uma paisagem deslumbrante com nuvens, campos rochosos nevados e planícies gramadas, discutindo o que torna a Islândia única
paisagem aberta – por Chris Liverani

Qualidades e Locais

Uma grande parte da Islândia está, na verdade, numa zona geotérmica e vulcânica. Isso explica toda essa paisagem eruptiva e borbulhante. A Península Sul não é diferente, e tem muitas qualidades geológicas impressionantes, como as famosas fontes termais da Lagoa Azul. Essas são um conjunto curioso de piscinas azuis fumegantes à frente de um fundo gelado e acidentado. Existe o Trölladyngja (Troul-la-dim-guiá), um tipo de sistema vulcânico com cores e rochas chamativas. Além disso, existem muitos sinais do passado Viking, como as ruínas em Selatangar.

a Lagoa Azul na Península Sul, fumegando fontes termais azuis em um cenário nevado
Lagoa Azul – por Jeff Sheldon

Vários artefatos são bem preservados no Museu Viking, situado fora de Reykjanesbær. Tem até um Museu de Rock ‘n’ Roll islandês se quiser ver ele. Por último, quero mencionar a cidade de Grindavík. Este lugar é uma cidade costeira deslumbrante com incríveis locais naturais do lado dela. Por toda a Islândia existem chalés e alojamentos únicos que você não encontrará fora do mundo nórdico. O isolamento e a singularidade deles, misturados com os cenários inspiradores, contribuem para o que torna essas regiões especiais.

Cultura (ou Últimas Ideias)

Essas duas regiões são a introdução perfeita à Islândia. Elas têm uma quantidade impressionante de cultura, arte e beleza natural. Por serem os principais locais de colonização e turismo do país, é fácil encontrar passeios e coisas para ver. Este é o lugar onde queira obter um gostinho da cultura e identidade pop (ou nem tanto) da Islândia.

A maioria das pessoas famosas e influentes do país vem dessas duas regiões, e a maioria dos imigrantes vem até elas. Isso também contribui para uma experiência mais internacional e diversa. Esses também foram locais importantes para os primeiros assentamentos nórdicos e um acampamento base para os vikings que chegariam à América do Norte bem antes de Colombo. A rica mistura da cultura nórdica histórica e atual é parte do que torna a Região da Capital e a Península Sul únicas.

uma paisagem colorida de campos e formações rochosas e um céu azul nublado acima
paisagem colorida do Ártico 

** Quero agradecer pessoalmente pela leitura! Eu amo que você adora aprender e explorar. Por favor, compartilhe suas experiências nessas regiões da Islândia ou se houver algo que você gostaria de acrescentar a esta breve lista. E uma última coisa: saia e explore o seu mundo! É um lugar bonito.